domingo

Sina?




Os dias foram-se
por entre as frestas das promessas...

Agora, mais do que sempre,
sabe que a vida dói.
Sabe o que é esperar
por uma bênção que não virá.

Não ouve nem vê como antes...
mas o que sente,
o que pressente...

Os meninos, com o pai, na lida;
as meninas, latão à cabeça...
A ida que é volta;
a volta que é ida
no passar vagaroso dos dias...

Suas vozes, trinados inquietos,
alegram-se nas histórias
com que as alimenta,
guardando para si mesmo a verdade
que assombra a memória...

A vida que os aguarda,
ele sabe de cor...

Mas também sabe que melhor seria
um dia ter sido criança;
ter tido alguém
para contar-lhe histórias...

ju rigoni (sem registro de data)

imagem via google

Esta semana meu poema Encantamento
vive um "Momento Ímpar".
Onde? Lá no Conto-Gotas
da escritora e poeta Eliane F.C. Lima
que, pela segunda vez,
brinda-me com seu olhar acurado.
Clique aqui para ler o conto.
E aqui para ver minha poesia comentada
no Literatura em Vida.
Eliane, de novo, obrigada!


Visite também

Fundo de Mim, Medo de Avião, Navegando...

2 comentários:

MOISÉS POETA disse...

muito bom o seu poema , ju!
amei de verdade !

grande beijo pra voce !

Eliane F.C.Lima disse...

Atraída por seu agradecimento, deixei passar esse poema tão interessante e delicado. Que contar e ouvir histórias é uma das coisas boas de se viver.
Eliane F.C.Lima