domingo

Magia




Parei para admirar o passarinho
e ouvir seu inquieto cantar.

Tão bonito que me deu asas...
Voei...

Se era canto de alegria ou tristeza, não sei.
Não sei falar a língua dos pássaros!
Mas chorei.
Emoção deve ser isso...

Tudo que eu queria era que todos sentissem
o que eu sentia ao ouvir o canto da avezinha.
Abri a portinhola e o libertei da gaiola.

O pássaro não cantava...
Encantava.

ju rigoni (1999)


Visite também
Fundo de Mim II, Medo de Avião, Navegando...

2 comentários:

Lara Amaral disse...

Há um cantar de passarinho em nós que não se expressa, não se ouve, só se sente.

Adorei os poemas, todos com uma levada de aninhar.

Beijos.

MOISÉS POETA disse...

...e o pássaro vôou em eterna liberdade...!

lindo o seu poema !

beijo grande !