domingo

Devoção




Sementes repousam
na palma da mão calejada...
Florestas inteiras, -
gerações e gerações de árvores,
frondosas e parideiras,
acomodam-se indefesas
no calor, na aspereza
da mão íntima do chão.

De calos e bênçãos
ela é feita...
Apura a semeadura;...
não renega a ternura,
a beleza do encontro
da semente com a terra.

Deita-as ao leito sagrado,
e, em regas, o amor se faz...

Nobre é essa mão rude, suada...
A mão que, na lida,
é sabedoria e presteza...
A mão que reaviva
as lições esquecidas...

Ah, como é prudente
plantar boas sementes...
Amar,... compreender
a simplicidade da vida...

ju rigoni (1998)


Visite também
Fundo de Mim, Medo de Avião, Navegando...

2 comentários:

Lis disse...

Lindo ju
"plantar boas sementes" e depois ver florescer
as parideiras...
Como é bom ficar por aqui alguns instantes lendo voce.
obrigada por "olhares espichados" rs
adorei

abraços e boa semana

Mariazita disse...

Querida Ju
Plantar boas sementes é imprescindível para ter boas sementeiras, seja nos campos, pelas mãos calejadas do lavrador, seja na vida de cada um, pelas nossas próprias mãos.
O seu poema é bom mesmo!
Gostei.

Boa semana. Beijinho