domingo

Enchente

.
O barulho da chuva forte inunda...
Acalma e inquieta...
Assustam
tão opostas sensações
a escorrer pelos veios
da erosão na alma.
Energia estranha;
tão raras águas...
Alegria e medo
a encharcar o chão,
afogá-lo em mágoas...

ju rigoni (1999)

Este poema foi publicado também no Verso Lilás,
da poeta Ana Lúcia Franco.
Obrigada, Ana!


Visite também
Fundo de Mim, Medo de Avião, Navegando...

5 comentários:

dade amorim disse...

Ju querida, sempre bom vir te ler - o que ultimamente tem sido complicado para mim, porque o tempo não chega para o que é preciso fazer e o que é apenas um prazer como este.

Beijo.

Ana Lucia Franco disse...

Ju, ando vivenciando tanto o que está nesse poema que lê-lo me causou um rebuliço. Melhoras prá ti da pneumonia.

bj

Lara Amaral disse...

A chuva traz mesmo sensações diversas, muito bem metaforizadas aqui por vc, Ju!

Beijo.

Rodrigo Rocha disse...

Ju passei para conhecer seu blog ele é not°10, fantástico com excelente conteúdo você fez um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom

AC Rangel disse...

Ju, lá vem você novamente, enchendo meus olhos de alegria. Não sabes que, na minha idade, emoção pode matar? E mais: a emoção que provocas, vicia. Não tente me regatar deste vício.
Beijo.